17 de dez de 2013

confiança, soberania & atitude

Muitas vezes temos a tentação de justificar a diminuição do nosso padrão de conduta apontando para as decadentes circunstâncias morais no mundo ao nosso redor. "Afinal, temos que sobreviver de alguma forma, temos que ser pragmáticos e flexíveis", prega a retórica do nosso tempo.
Ser flexível é uma qualidade valiosíssima quando se trata da aplicação de princípios, mas não quando se trata dos princípios em si.
Davi enfrentou semelhante situação em várias ocasiões e uma destas resultou no Salmo 11. Neste Salmo ele relata que foi aconselhado a fugir diante das dificuldades perante um perigo muito real e iminente. No verso 3 ele reproduz o fechamento do conselho que ele está recebendo: "Quando os fundamentos estão sendo destruídos, que pode fazer o justo?" Na cabeça dos seus falsos conselheiros tudo que ele pode fazer é fugir "como um pássaro para os montes" (v. 1).
Quantas vezes, perante situações aparentemente sem saída, somos tentados a fugir da situação, a não confrontá-la? E, em várias ocasiões, esta é até a melhor solução. O próprio Davi durante muito tempo havia fugido do perigo. Ele viveu desta forma sob Saul e, mais tarde, teve que fazê-lo de novo ao fugir do seu próprio filho, Absalão. No entanto, nesta ocasião, neste Salmo, ele decide ficar. Ele apela para a soberania de Deus. Os próximos versos 4-6 do Salmo 11 mostram Davi olhando para cima, para Deus, declarando a sua confiança neste Deus que é Senhor absoluto de todas as circunstâncias, descrevendo-O como estando no Seu trono, com "olhos atentos" e pondo à prova justos e ímpios.
Como que Davi sabia quando correr e quando ficar? O que mostrava que era hora de tomar uma atitude, que correr desonraria o Seu Deus? Ouço muito falar sobre 'saber escolher as próprias batalhas'. É uma frase cuja prática é associada a maturidade e sabedoria. Todavia, acredito que este conceito está fundamentalmente equivocado. Davi tinha sucesso quando, em vez dele tomar as decisões, as entregava nas mãos de Deus. Não eram as circunstâncias que o dominavam, mas sim a vontade e o plano de Deus para a vida Dele. Isso soa simples, mas não é nada fácil.
Ele termina o Salmo dizendo: "Pois o Senhor é justo, e ama a justiça; os retos verão a Sua face" (v. 7).
Senhor me ajude hoje a entregar as minhas decisões um pouco mais em Suas mãos.

16 de dez de 2013

Amor & Justiça

O Salmo 10 pode ser visto como uma descrição da nossa época. Os versos 3-4 iniciam uma descrição tão atual que parecem ter sidos escritos ontem: "Pois o ímpio gloria-se do desejo do seu coração, o que é dado à rapina despreza e maldiz o Senhor. Por causa do seu orgulho, o ímpio não O busca; todos os seus pensamentos são: não há Deus."
É politicamente correto assumir que cada um pode pensar o que quer e que as consequências são somente um estado mental individual. Existem até Cristãos que estão embarcando nesta onda, dizendo que céu e inferno são realidades da alma, são a presença ou ausência de Deus na vida. Apesar de existir um solo fértil para estas ideias em nossa época, a Bíblia é clara em dizer que haverá Justiça eterna, absoluta e perfeita. Será Justiça com "J" maiúsculo. Esta justiça será alcançada mediante juízo, juízo que salva e também condena.
O intuito da Bíblia declarar isso não é para fazer com que pessoas busquem a Deus por interesse. Tampouco é de causar terror. O intuito é informar o que é real para poder ajudar e orientar. Ela não é politicamente correta, mas nem por isso deixa de ser verdade. Pense em um pai que orienta o seu filho a respeito da realidade de pular de uma grande altura e explicando as possíveis e prováveis consequências. Ou em um juíz informando um grupo de pessoas quais as consequências de quebrar as leis do trânsito. Há consequências intrínsicas, pelo risco no qual a pessoa coloca outras pessoas e a si mesma, como há consequências que serão executadas, mesmo que não ocorra acidente.
Até temos certa liberdade de escolher o rumo da nossa vida, mas, segundo a Palavra, não temos a liberdade de escolher as consequências das nossas escolhas. Um dia, no entanto, haverá Justiça Eterna.
O Salmo 10 termina com o clamor do salmista por Justiça. É a resposta natural daquele que percebe a inversão de valores e a exaltação do mal como sendo a norma no seu cotidiano. Não há quem não creia verdadeiramente em Deus que não anseie por verdadeira Justiça. Sem esta compreensão tudo que nos resta é a desesperança, que nos tornará cínicos. E não há nada, nada mais trágico do que um cínico, tanto para si mesmo, como para aqueles que o cercam, como para a sociedade como todo.
Por isso, apesar de retratar a realidade de forma tão impopular, a Bíblia ainda é o livro que nos transmite a certeza de que há verdadeira esperança. Não é uma esperança politicamente correta, mas é real.
Justiça sem amor é cruel.
Amor sem justiça não perdura.
Só há Um que consegue unir os dois.

13 de set de 2013

elegância





há pessoas que conhecem a si mesmas, tanto as suas virtudes como os seus defeitos. conhecem o seu lugar na vida (Sitz im Leben). a segurança resultante, que não é fruto de ilusões de grandeza tampouco falsa humildade, transmite uma elegância que independe de atributos externos e que causa admiração ou inveja, às vezes ambos. esta elegância não se compra, nem se copia...

20 de abr de 2013

Mensagem Pastoral




Em um mundo tão cheio de incertezas, violência e inseguranças Deus chama pessoas para serem os Seus representantes. Em Sua Palavra Ele afirma que este mundo não é o nosso Lar e que estamos aqui só de passagem. Ele nos prometeu que o Seu Filho, Jesus, voltaria para buscar todos aqueles que O aceitassem como Salvador e Senhor. Ele pediu para que não ficássemos confortáveis neste mundo, pois o mesmo só nos levaria para longe Dele e nos faria esquecer o essencial: que Salvação é caminhar com Ele dia-a-dia. 
Enquanto Ele não vem Ele nos deu uma missão: ser o Sal da Terra e a Luz do Mundo. E é isso que nós queremos ser, tanto individualmente como Comunidade da Fé. Queremos nos misturar entre as pessoas, dando sabor às suas vidas sem chamarmos atenção para nós mesmos. Queremos auxiliá-las não somente na compreensão da Palavra de Deus, a Bíblia, mas com uma comunidade que, apesar de imperfeita, busca viver e transmitir o Amor do Evangelho. 
Enfim, queremos Amar a Deus, Amar ao Próximo e Servir ao Mundo até que Ele venha. 
Seja bem vindo à Dallas Lighthouse Brazilian Church SDA.