28 de out de 2009

24 de out de 2009

conhecimento & humildade


No passado eu tinha a tendência de ler para me divertir. Li literalmente milhares de páginas para passar o tempo de forma que me agradasse.
Depois passei a ler para saber, para adquirir conhecimento e muitas vezes este conhecimento me levava à uma segurança que beirava arrogância.
Hoje, quanto mais eu leio, mais percebo o quão pouco sei. Sinceramente! Não é falsa modéstia.
Hoje, ao ler, sinto o vazio de todo o conhecimento que não tenho. Isso me torna mais realista e, portanto, humilde.
Hoje I Co 3:19 tem outro significado para mim.
"Porque a Sabedoria deste mundo é loucura diante de Deus; pois está escrito: Ele apanha os sábios na sua própria astúcia;"
Que apesar das nossas severas limitações saibamos aceitar o valor que Deus nos dá, mesmo sem compreender a grandeza disso.
shabbat shalom

16 de out de 2009

lei, liberdade & paz



Ufa! Chegou o Sábado! Não sei como que ele chegou para você, se foi na correria ou se você teve tempo de se preparar. Se a sua caminhada durante esta sexta-feira teve a companhia consciente do Senhor do Sábado ou se Ele estava presente em todos os lugares, menos na sua mente e coração... Não importa! Não importa se você está lendo esta meditação em voz alta com família e/ou amigos ou se você lê estas linhas no silêncio da sua mente. O importante é que você está tomando este tempo agora para ler estas poucas palavras, dando a Deus a oportunidade de se manifestar em sua vida. E é por isso que quero falar com você sobre o essencial, o primeiro passo que precisa ser dado neste momento independente de ser esta a sua primeira tentativa ou milésima vez... a essência sempre será a mesma.

Quero voltar os seus pensamentos para os Dez Mandamentos. Você se lembra de como eles começam? Muitos conhecedores da Bíblia pensarão imediatamente no primeiro Mandamento que diz “Não terás outros deuses diante de mim”. Durante muito tempo eu teria começado desta mesma forma até que um dia eu fui alertado por um amigo que, de fato, este não era o início. Na verdade os Dez Mandamentos começam com Deus dizendo “Eu sou o SENHOR, teu Deus, que te tirei da terra do Egito, da casa da servidão”. Deus se apresenta dando o Seu currículo, demonstrando que é Ele, o Libertador, que está falando. Tudo que se segue depende desta apresentação. Se o Seu currículo não fosse uma realidade na vida do povo de Israel tudo que se seguiria teria pouca importância. Todos os Mandamentos, inclusive o quarto que fala da guarda do Sábado, seriam sem valor se a introdução não tivesse significado e relevância.

Por isso que quero conduzir os seus pensamentos para o grande Libertador, o Redentor, Jesus Cristo. Quero levá-lo a lembrar o que Ele fez por você e por mim. Quero refrescar a sua memória de tal forma que você seja colocado perante uma decisão: aceitá-Lo agora como Aquele que morreu em seu lugar, que morreu a sua morte, morte eterna. Morte conseqüência do pecado, pois “todos pecaram e carecem da glória de Deus” (Rm 3:23) e “o salário do pecado é a morte” (Rm 6:23). Graças a Deus, no entanto, que nenhum destes dois versos está completo. Rm 3:24 nos lembra que somos “justificados gratuitamente, por Sua graça, mediante a redenção que há em Cristo Jesus” e a segunda parte de Rm 6:23 reafirma que “o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor”. Ele é o nosso Libertador, nos redimiu do castigo do pecado. Basta aceitá-lo. Tentar cumprir a letra da lei sem ter o Senhor da lei como nosso Libertador é frustrante e, a médio-longo prazo nos levará a desistir. É como tentar atravessar um abismo pulando. Alguns pulam um pouco mais longe que outros, mas a queda é certa.

Guardar o Sábado começa em primeiro lugar com a consciente necessidade de que preciso de Jesus, o meu Libertador. Aceitando-O me torno apto a guardar o Seu Santo Dia, o Sábado. Paulo em Rm 5:1 nos diz o seguinte: “Justificados, pois, mediante a fé, temos paz com Deus por meio de nosso Senhor Jesus Cristo”. Ao aceitar Jesus e Sua morte em meu lugar como sendo suficientes para me libertar do pecado eu passo a ter paz com Deus, passo a ter certeza da minha Salvação, não porque eu mereço ou porque tenho comportamento socialmente apropriado, mas porque confio que Ele me libertou. Esta certeza me dá paz e esta paz se intensifica durante o Sábado, dia no qual eu devo procurar me lembrar mais fortemente do que Ele fez por mim e, conseqüentemente, me levará a querer louvá-Lo mais.

Que este Sábado seja um passo na direção certa, nos levando a lembrar e re-experimentar a libertação que foi dada por Ele. Que isso lhe dê a certeza da Salvação. Que isto resulte em muita paz com Ele e conseqüentemente com todos aqueles com os quais você irá encontrar e que esta paz resulte em muito louvor a Deus.